quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Falta de indicações pode adiar instalação de comissões especiais, diz Maia

Resultado de imagem para rodrigo maia caricaturaO Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (8) que a falta de indicações partidárias poderá adiar a instalação das comissões especiais que vão discutir as reformas da Previdência Social e Trabalhista.
A ideia de Maia era instalar as comissões nesta quinta (9), mas, como poucos partidos fizeram indicações, ele avaliou ser "quase impossível" instalar os grupos ainda nesta semana.
"Infelizmente, até o momento, poucos partidos, principalmente da base, indicaram seus membros, o que tornará quase impossível [a instalação das comissões] - se não ocorrer [as indicações] nas próximas horas - a importante instalação das comissões na tarde de quinta", disse.

As indicações

Até o fim da tarde desta quarta, a comissão destinada a analisar a reforma da Previdência tinha 18 dos 37 titulares indicados. O bloco com PSDB, PSB, PPS e PV, por exemplo, havia indicado somente 1 dos 8 membros aos quais tem direito.
O bloco formado por PMDB, PP, PTB, DEM, PRB, SD, PSC, PHS, PTN, PMN, PRP, PSDC, PEN e PRTB indicou 11 dos 16 membros. Já o bloco com PT, PSD, PR, PROS e PCdoB apresentou 4 dos 11 deputados.
Na comissão da reforma trabalhista, por sua vez, foram indicados 9 dos 37 membros. O bloco com PSDB, PSB, PPS e PV não indicou nenhum dos 8 membros que tem direito.
O bloco com PMDB, PP, PTB, DEM, PRB, SD, PSC, PHS, PTN, PMN, PRP, PSDC, PEN e PRTB indicou 3 dos 16 membros. Já o bloco com PT, PSD, PR, PROS e PCdoB nomeou 4 dos 11 membros que tem direito.