terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Equipe de Crivella tem mais uma baixa

A equipe do prefeito Marcelo Crivella teve mais uma baixa na tarde desta terça-feira. O advogado Arthur Fuks, nomeado na edição de hoje do Diário Oficial do Município para a Subsecretaria de Inclusão Produtiva, da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, não vai mais assumir o cargo. A decisão foi tomada depois que a secretária Tereza Bergher soube que Fuks publicou posts em seu facebook divulgando mensagens de outras páginas de rede sociais tais como “Sou a favor de reintegrar o bandido à sociedade. Os órgãos vão para doação, o esqueleto para a escola de medicina e o que sobrar vai para adubo”.
Em outra postagem, o advogado reproduz uma reportagem sobre a aprovação de um lei na Alerj que concede vale-transporte para famílias de presos. Ele faz o seguinte comentário. “Que vergonha Alerj, a dupla de deputados maconheiros sempre defendendo a vagabundagem !!!!!!!!”.
Como se trata de um cargo de segundo escalão, a nomeação saiu pela Casa Civil. A secretária Tereza Bergher disse que desconhecia as opiniões do advogado.
— Esse tipo de posição mostra uma postura que não combina com uma secretaria que cuida de Direitos Humanos. Eu o tinha nomeado porque preciso de uma boa equipe de advogados para analizar centenas de contratos que as pasta tem com ONGs. Eu não podia saber que ele pensava assim. Não consulto rede social para nomear pessoas. Ele é de ótima família. O pai é um excelente cardiologista que inclusive é meu médico e de muita gente do gabinete. E a mãe é nutricionista da prefeitura — disse Teresa Bergher.
As críticas a nomeação de Arthur Fuks ganharam as redes sociais por intermédio da socióloga e vereadora Marielle Franco (PSOL). A equipe de Marielle tem acompanhado as nomeações da prefeitura nas duas últimas semanas.
— Eu fiquei impressionada. As posições desse advogado não combinam a promessa do novo prefeito de que pretende cuidar das pessoas e fazer uma nova política — disse Marielle.
A nomeação de Fuks foi retroativa a 1º de janeiro. Tereza disse que como ele ainda não havia se apresentado para trabalhar já pretendia exonerá-lo. O advogado, no entanto, disse que pretendia começar na secretaria na próxima quinta-feira.
— Eu manifestei minhas opiniões. Isso vale para cada pessoa. E as postagens são do ano passado, quando sequer Tereza Bergher tinha sido escolhida como secretária nem eu tinha sido indicado. Se não vou mais assumir, então é isso. Prefiro não dar mais declarações — disse Fucks.