domingo, 15 de julho de 2018

Câncer provocado por talco obriga Johnson & Johnson a pagar R$ 18 bilhões em indenização a mulheres

Johnson & Johnson se defende dizendo que décadas de pesquisas acadêmcias atestam a segurança do talco (Foto: ReutersS/Lucas Jackson/Files)A multinacional Johnson & Johnson foi condenada a pagar US$ 4,7 bilhões a 22 mulheres e suas famílias pela acusação de que um talco fabricado pela companhia com amianto em sua composição levou as usuárias a desenvolver câncer de ovário. O processo correu nos EUA em júri popular e ainda cabe recurso.
Um júri do Estado de Missouri aplicou multa de US$ 4,14 bilhões à companhia e determinou o pagamento de US$ 550 milhões para compensar os danos causados às vítimas. A acusação é de que a empresa não informava sobre riscos de câncer associados ao produto. 
Em nota, a empresa disse estar "desapontada" com a decisão e informa que vai recorrer. Ao todo, são mais de 9 mil processos ligados ao talco, segundo documentos revelados em abril, de acordo com o The New York Times. 
Seis das mulheres que entraram com o processo já morreram. As demais compareceram ao fórum na quinta-feira para ouvir a sentença do caso - menos uma delas, que está enfrentando tratamento por quimioterapia e estava muito fraca para estar lá. O júri deliberou e chegou a uma decisão em apenas 45 minutos, de acordo com Mark Lanier, advogado de uma das requerentes.
O advogado acusa a empresa de tentar esconder evidências da presença de amianto nos seus produtos à base de talco por mais de 40 anos. Ele defende que a empresa informe isso no rótulo ou utilize como base amido de milho nos seus talcos. Ele destacou ainda que a multa à J & J está entre as maiores já aplicadas pela justiça americana em casos assim. 
Confira a nota da empresa na íntegra
A Johnson & Johnson informa que está profundamente desapontada com o recente veredito do julgamento em St. Louis, no Missouri, Estados Unidos. Reafirmamos com confiança que nossos produtos de talco não contêm amianto e não causam câncer de ovário e pretendemos buscar todos os recursos de apelação disponíveis. Até hoje, as decisões sobre talco contrárias à Johnson & Johnson neste tribunal das quais recorremos foram revertidas. Em relação ao Brasil, informamos que não há processos judiciais associados a este assunto. O produto comercializado no país é produzido localmente e também não contém amianto nem causa câncer de ovário.
A Ovacome, organização britânica especializada em câncer nos ovários, pontua que a mais provável causa para o desenvolvimento de câncer nos ovários é uma série de fatores hereditários e ambientais, em vez de apenas por causa do uso de talco. Em um artigo publicado em sua página na internet, a organização diz que ainda não evidências o suficiente que liguem exclusivamente o uso de talco ao aparecimento de câncer nos ovários.
"Se uma mulher tem câncer de ovário e usou talco, parece improvável que o uso do produto tenha sido o único motivo pelo qual ela desenvolveu a doença. Mais estudos serão necessários para descobrir exatamente se o talco causa ou não câncer de ovário", conclui o artigo.

Pastora acusada pela morte dos filhos é transferida de presídio em MG para o ES

Pastora Juliana Sales Alves presa em Minas Gerais por omissão no caso da morte de filhos em incêndio no Espírito Santo (Foto: Umberto Lemos / InterTV)A pastora Juliana Sales Alves, mãe de Joaquim e Kauã, de 3 e 6 anos, mortos em um incêndio em Linhares, foi transferida de Minas Gerais para o Espírito Santo neste sábado (14). Ela e o marido, o pastor Georgeval Alves, são acusados pelo homicídio das crianças.
Juliana estava presa em Teófilo Otoni desde o dia 20 de junho e foi levada para o Centro Prisional Feminino de Cariacica, na Grande Vitória.
Georgeval, pai de Joaquim e padrasto de Kauã, foi acusado de estuprar, agredir e queimar as crianças. Já Juliana foi presa porque, segundo o juiz, foi omissa e sabia dos abusos que as vítimas sofriam.O filho mais novo do casal foi entregue pelo Conselho Tutelar ao avô materno em Linhares, que é quem tem a tutela da criança agora.

Ordem de prisão

A ordem de prender a pastora partiu do juiz André Dadalto, da 1ª Vara Criminal de Linhares. De acordo com a decisão, Juliana sabia dos desvios de caráter do marido, e mesmo assim apoiava os planos dele de se promover na igreja.Para o Ministério Público, assassinar os próprios filhos estava nos planos do casal. Seria uma tragédia a ser usada pelo pastor para se promover na igreja.
“O pastor George, em parceria com a pastora Juliana, buscava uma ascensão religiosa e aumento expressivo de arrecadação de valores por fiéis e, para esta finalidade, ceifou a vida dos menores Kauã e Joaquim para se utilizar da tragédia em seu favor”, diz a decisão.
Juliana também estava ciente sobre as diferenças de tratamento que George dava para os filhos e o enteado. A decisão diz que George deixava faltar alimento, medicamento e atendimento médico para as crianças.

No Pará, Bolsonaro defende PMs por morte de 19 sem-terra no massacre de Eldorado do Carajás

RIO — Em agenda em Eldorado do Carajás, sudoeste do Pará, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) defendeu, nesta sexta-feira, policiais presos pela morte de 19 trabalhadores rurais sem-terra no massacre que marcou a região há 22 anos. A informação foi publicada pelo jornal "O Estado de S. Paulo" deste sábado. Segundo Bolsonaro, "os policiais reagiram para não morrer".


“Quem tinha que estar preso era o pessoal do MST (Movimento dos Sem Terra), gente canalha e vagabunda. Os policiais reagiram para não morrer”, declarou Bolsonaro, aplaudido por um grupo de policiais que acompanhava seu discurso, em frente a troncos de castanheiras queimados que marcam o local dos assassinatos.


sábado, 14 de julho de 2018

Primeiro exame de raio-x em 3D e com cores é realizado em humanos

O instituto de pesquisa de física Cern (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear) ajudou recentemente em um grande salto na tecnologia para a medicina: realizar o primeiro exame de raio-x colorido e em 3D em humanos.
O feito foi realizado junto com a empresa Mars Bioimaging, da Nova Zelândia, que desenvolveu um novo método de captura para colocar cores e profundidade na tomografia computadorizada.
Para fazer isso, os pesquisadores deixaram de emitiram raios-x de frequência única, que geram imagens em preto e branco, e utilizaram comprimentos de onda variados na captura, o que foi possível graças a uma tecnologia desenvolvida a partir do acelerador de partículas da Cern.
Chamado de Medipix, o sensor de imagem criado pela Cern é capaz de capturar elementos subatômicos, o que garante imagens de alta resolução e contraste. O nível de detalhes é tão grande que os pesquisadores conseguem identificar mais detalhes no exame e, com isso, adicionar cores na imagem.
O resultado disso são as imagens que podem ser vistas nessa publicação, que trazem um grau maior de profundidade e detalhes que os exames tradicionais.
De acordo com os pesquisadores, a novidade permitirá que os médicos identifiquem com mais facilidade os problemas do paciente com este tipo de exame, uma vez que a diferença entre osso, cartilagem e músculos é mais clara.
"Esta técnica de imagem de raios-X a cores poderia produzir imagens mais claras e precisas e ajudar os médicos a dar aos seus pacientes diagnósticos mais precisos" - Cern
A Mars Bioimaging começará a fazer testes clínicos com a tecnologia em breve, quando teremos mais novidades sobre o procedimento.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Salvo no Rio, Crivella votou por afastamento de Dilma por "grave crise econômica"



Em sessão extraordinária nesta quinta-feira (12), a Câmara de Vereadores rejeitou levar adiante os pedidos de impeachment contra o prefeito do Rio Marcelo Crivella (PRB). Na votação, os parlamentares que apoiam a permanência do prefeito no cargo conseguiram a maioria simples dos votos, com 29 votos contra 16. Quarenta e cinco vereadores participaram da sessão.
Dois pedidos de impeachment haviam sido protocolados na Casa. Em uma reunião antes da votação, os parlamentares acordaram que, se a primeira fosse rejeitada pela Câmara, a segunda seria julgada prejudicada antes mesmo de ser votada. Assim foi feito.
O público ficou dividido em duas galerias: uma pró-Crivella, que chegou cedo e surpreendeu a oposição, e outra com ativistas favoráveis ao impeachment. Do lado de fora, houve empurra-empurra entre os dois grupos, com os manifestantes que não conseguiram senhas para entrar.
Dentro, os debates também foram acirrados: houve muitas vaias em vários momentos. O vereador Otoni de Paula (PSC), que defendeu o prefeito ao microfone, reagiu à plateia "dando uma banana". Depois fez gestos considerados homofóbicos para o público e para David Miranda (PSOL), parlamentar que é gay e defende a bandeira LGBT.
Apesar do processo de impedimento ter sido rejeitado, o Tribunal de Contas do Município decidiu votar as contas de 2017 do prefeito Crivella. Conforme informou o presidente da Câmara, vereador Jorge Felippe (MDB), a sessão extraordinária desta quinta serviu para "deliberar sobre recebimento das denúncias de infração político-administrativa contra o Excelentíssimo Senhor Prefeito".
Vereador Otoni de Paula ridiculariza colega de oposição após defender Crivella em discurso na Câmara na sessão que votou abertura de impeachment (Foto: Willian Corrêa/Globonews)Vereador Otoni de Paula ridiculariza colega de oposição após defender Crivella em discurso na Câmara na sessão que votou abertura de impeachment (Foto: Willian Corrêa/Globonews)

Veja como votou cada vereador
Contra a abertura da investigação:
  • Alexandre Isquierdo (DEM)
  • Carlo Caiado (DEM)
  • Cláudio Castro (PSC)
  • Daniel MArtins (PDT)
  • Dr. Carlos Eduardo (SD)
  • Dr. Jairinho (MDB)
  • Dr. Jorge Manaia (SD)
  • Eliseu Kessler (PSD)
  • Felipe Michel (PSDB)
  • Inaldo Silva (PRB)
  • Italo Ciba (Avante)
  • Jair de Mendes Gomes (PMN)
  • Jones Moura (PSD)
  • Júnior da Lucinha (MDB)
  • Luiz Carlos Ramos Filho (Pode)
  • Marcelino D'almeida (PP)
  • Marcelo Arar (PTB)
  • Otoni de Paula (PSC)
  • Prof. Célio Lupparelli (Dem)
  • Prof. Adalmir (PSDB)
  • Rocal (PTB)
  • Tânia Bastos (PRB)
  • Thiago K. Ribeiro (MDB)
  • Tiãozinho do Jacaré (PRB)
  • Val Ceasa (Patri)
  • Vera Lins (PP)
  • Welington Dias (PRTB)
  • Willian Coelho (MDB)
  • Zico Bacana (PHS)
A favor da abertura da investigação:
  • Babá (Psol)
  • Cesar Maia (DEM)
  • David Miranda (Psol)
  • Fernando Willian (PDT)
  • Leandro Lyra (Novo)
  • Leonel Brizola (Psol)
  • Luciana Novaes (PT)
  • Paulo Pinheiro (Psol)
  • Rafael Aloisio Freitas (MDB)
  • Reimont (PT)
  • Renato Cinco (Psol)
  • Rosa Fernandes (MDB)
  • Tarcísio Motta (Psol)
  • Teresa Bergher (Psdb)
  • Ulisses Marins (PMN)
  • Zico (PTB)
Placar da votação do impeachment no plenário na Câmara do Rio (Foto: Reprodução)Placar da votação do impeachment no plenário na Câmara do Rio (Foto: Reprodução)

Como se deram as denúncias?

A reunião em plenário foi promovida após 17 parlamentares da oposição assinarem requerimento para que a Casa discutisse o impedimento de Crivella.
Horas depois do pedido oposicionista ser protocolado, mais 17 parlamentares - dessa vez da base governista do prefeito - assinaram documento semelhante, para demonstrar "união" e o desejo de derrubar o impedimento.
Os pedidos de impeachment contra o prefeito foram feitos após publicação do jornal "O Globo" revelar ter havido reunião secreta com pastores no Palácio da Cidade, sede do governo, em que o prefeito garantiu soluções para problemas com IPTU e agilidade para cirurgias de catarata.
Em áudio obtido pelo jornal, Crivella diz: "Nós temos que aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na prefeitura para esses processos andarem. Temos que dar um fim nisso”.

Eduardo Bolsonaro curte foto de Lula sem camisa na praia

lula-sem-camisa-600×361Sabe quando você está stalkeando um crush ou um ex (presidente) e curte uma foto bem antiga sem querer?
Foi o que aconteceu com Eduardo Bolsonaro na última quinta-feira (12).
Na imagem, o petista está caminhando no mar do Piauí, sem camisa e com um short vermelho, parecendo um cosplay do personagem Mario. A legenda da imagem pede para que os seguidores não se deixem desanimar.
Apesar de curtir foto, Dudu, que frequentemente se manifesta nas redes sociais contra o ex-presidente, não fez nenhum comentário. Os seguidores de Lula não perceberam o inusitado “like” do adversário político, diz o jornal.