terça-feira, 21 de novembro de 2017

Meirelles diz que reforma da Previdência deve ser votada ainda este ano

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (21) que está tudo “acertado” para que a reforma da Previdência seja votada ainda este ano. Segundo ele, as alterações propostas pelo relator da matéria na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), estão em “fase final de ajustes”.
Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, participa de audiência pública na Câmara dos Deputados sobre o panorama da economia e a composição da dívida pública brasileira (Wilson Dias/Agência Brasil)Meirelles participou nesta terça de audiência pública conjunta de quatro comissões da Câmara: de Finanças e Tributação, de Fiscalização Financeira e Controle, de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, e de Trabalho, Administração e Serviço Público.
Em sua apresentação, o ministro recorreu a gráficos e números para falar sobre o ajuste fiscal e mostrar que “o país saiu da recessão e que todos os indicadores apontam nessa direção”.
Ao comparar a situação atual da economia ao começo do governo do presidente Michel Temer, Meirelles destacou que a inflação acumulada em maio de 2016 era de 9,3% e que agora, em novembro, está em 2,7%. “Em decorrência, nesse mesmo período, os juros da Selic [taxa básica de juros] também caíram de 14,25% [ao ano] para 7,5%, e o risco pais para os títulos com vencimento em cinco anos, foram de 328 para 173 pontos base”.
O ministro também destacou que o corte gradual das despesas do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) ocorreu sem aumento da carga tributária, mas reafirmou que o ajuste tem que vir de mudanças nas despesas obrigatórias, especialmente as da Previdência.
Ao defender a aprovação das mudanças na aposentadoria, Meirelles disse aos deputados que a reforma da Previdência é a prioridade do governo neste momento e que se não for aprovada, o Brasil terá que aprender a viver com as consequências. “É uma questão de números. Sem reforma, dentro de 10 anos, 70% do Orçamento irá para a Previdência.”
Grandes fortunas
Questionado pelo deputado Ivan Valente (PSOL-RJ) durante a audiência sobre a taxação de grandes fortunas como forma de aumentar a arrecadação, Meirelles disse que o governo já tem uma proposta para a taxação dos fundos exclusivos de aplicações que, segundo ele, são todos de grandes fortunas.

TRF manda prender novamente deputados e pede intervenção do STF no Rio

Rio - O Tribunal de Justiça do Rio suspendeu, no início da noite desta terça, os efeitos da sessão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) que determinou  a soltura dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB, na sexta-feira. Eles foram presos no dia anterior pela Polícia Federal.
O desembargador Heleno Ribeiro Pereira Nunes atendeu a um mandado de segurança do Ministério Público do Estado do Rio, que pedia a anulação da votação por desrespeito a uma ordem judicial que determinava a abertura das galerias do plenário para o público. A suspensão vale até o julgamento do mérito pelo Órgão Especial do TJ, que definirá se a sessão será anulada ou não. Na ocasião, uma oficial de Justiça foi impedida de entrar no local para entregar a liminar que garantia o acesso às cadeiras da Casa.
Na decisão desta terça-feira, o desembargador deu prazo de dez dias, a partir desta quarta, para que Wagner Montes (PRB), presidente em exercício da Alerj, e a Mesa Diretora prestem informações sobre o episódio.
Chegada à Benfica
Os deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, do PMDB, seguiram à tarde para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, Zona Norte do Rio, após exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Os três se entregaram na sede da Polícia Federal, na Zona Portuária, após sessão extraordinária do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) determinar a prisão dos parlamentares por unanimidade, pela manhã. 
Eles são acusados de recebimento de propinas para favorecer empresas de ônibus e tiveram R$ 270 milhões bloqueados pela Justiça. Os deputados passaram apenas uma noite na cadeia, onde também está o ex-governador Sérgio Cabral, após 39 parlamentares da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) votarem pela revogação da prisão em sessão na Casa. Outros 19 deputados votaram contra, um se absteve e 11 se ausentaram. 
Decisão unânime
Os desembargadores da  1ª Seção Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) decidiram, por unanimidade, pelo restabelecimento da prisão dos deputados por cinco votos a zero. Além das prisões, os magistrados também pedem a intervenção federal do Supremo Tribunal Federal (STF) no Rio, caso haja descumprimento das medidas.

Votaram os desembargadores Abel Gomes, Messod Azulay Neto, Paulo Espírito Santo, Simone Schreiber e Marcello Granado. O desembargador Abel Gomes sugeriu ainda que o presidente da corte, André Fontes, peça a intervenção do STF no Rio caso a decisão pelas prisões seja descumprida. 
"Nada feito aqui é perseguição. Torcemos até pelos réus. O Judiciário não está de joelhos, nunca esteve e nunca estará", falou o desembargador Paulo Espírito Santo, criticando em seguida duramente a soltura dos parlamentares através de votação na Alerj. 
"Quando vi Alerj ilegalmente soltando os presos em carros oficiais pensei 'meu Deus, para quê juiz, Ministério Público e advogado?'. Parecia um resgate de filme de faroeste. Sem querer ofender, de bandidos. Não é possível que se faça isso e está todo mundo vendo", disse.
Já o desembargador Abel Gomes pediu o restabelecimento da prisão dos parlamentares considerando que a decisão da Alerj que os soltou é de "ordem ilegal com esdrúxulos alvarás de soltura" e afirmou que "só prende quem solta".
"O parlamento jamais pode revogar uma prisão decretada pela Justiça, só pode ser revogada pelo Judiciário", afirmou o desembargador Marcello Granado. O advogado de Picciani, Nelio Machado, chamou a decisão de 'ilegal, inconstitucional e infeliz' e disse que vai recorrer às cortes superiores.  Ainda de acordo com Nelio, seu cliente deve se comportar como da outra vez, ou seja, vai se apresentar à Justiça. 
Já a defesa de Edson Albertassi informou que o deputado "já se apresentou à Polícia Federal para cumprir a determinação do TRF". "Edson Albertassi confia na Justiça e estará sempre à disposição para esclarecer os fatos", diz um trecho do comunicado.
Edson Albertassi foi o primeiro a chegar à sede da Polícia Federal, na Zona Portuária, por volta das 15h30. Paulo Melo chegou às 16h e, Picciani, às 16h30.
Desta vez, o TRF-2 comunicará à Alerj a decisão referente apenas ao afastamento dos políticos. Na semana passada, a Corte informou à Casa sobre as prisões. Como os deputados decidiram soltar seus pares sem ordem judicial, agora os desembargadores bateram o martelo que de a expedição de alvará de soltura é competência exclusiva do Judiciário. 
A Alerj enviou, no fim da tarde, o ofício comunicando ao TRF-2 a soltura dos deputados, referente à votação de sexta. A movimentação na Casa Legislativa foi normal.

Morre o garoto que pediu cartões para antecipar o seu último Natal

Foto: Reprodução/FacebookO garotinho que ficou conhecido no começo de novembro, após pedir para receber cartões de pessoas de todo o mundo pro que seria o seu último Natal, faleceu nesta domingo (19). 
 
Vítima de Neuroblastoma - câncer que afeta principalmente as crianças até os 15 de idade -, Jacob Thompson, 9, lutava contra a doença há quatro anos. A notícia de seu falecimento foi dada pelos pais do garoto em uma rede social. 
 
O menino havia recebido o diagnóstico de apenas mais um mês de vida. A doença já estava em estado terminal, momento em que medicações já não são capazes de reverter o quadro. Para garantir que Jacob tivesse sua última comemoração de Natal, a família atencipou a data.
 
Após o falecimento da criança, os pais agradeceram a todas as pessoas que buscaram, de alguma forma, encorajar e alegrar o menino. "Cada pessoa que enviou um cartão de natal ao Jacob, um presente, uma mensagem ou vídeo do Facebook, ou uma oração fez a diferença nos últimos dias da sua vida", dizia a mensagem postada no Facebook. 

Presidente do Irã declara fim do Estado Islâmico

Presidente do Irã, Hassan Rouhani, durante coletiva de imprensa em Nova York, Estados Unidos
BEIRUTE (Reuters) - O presidente do Irã, Hassan Rouhani, declarou o fim do Estado Islâmico em pronunciamento transmitido pela televisão estatal nesta terça-feira.
O general Qassem Soleimani, um comandante graduado da Guarda Revolucionária do Irã, também declarou o fim do Estado Islâmico em mensagem enviada ao líder supremo do país nesta terça-feira, que foi publicada no site de notícias da força, o Sepah News.
Vídeos e fotos de Soleimani, que comanda o braço da Guarda Revolucionária responsável pelas operações fora do Irã, na linha de frente de batalhas contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria têm sido publicados frequentemente pela mídia iraniana nos últimos anos.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Prematuro vai parar na UTI após enfermeira injetar leite materno na veia da criança em MS

Resultado de imagem para prematura injeção leiteUm prematuro de 71 dias foi parar na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após uma técnica em enfermagem da Santa Casa de Campo Grande injetar leite materno na veia do bebê. Segundo a família, antes do episódio, a criança estava na unidade intermediária.
O hospital informou que afastou a profissional e abriu uma sindicância para apurar o que aconteceu. O resultado deve sair em uma semana. "Ele está reagindo bem. Mas a gente precisa completar o tempo de tratamento. Ele já tem uma melhora em termos de exames laboratoriais e clínica", afirmou Walter Lopes, coordenador infantil da Santa Casa.
A família registrou boletim de ocorrência na polícia e disse que na quinta-feira (16), os médicos precisaram fazer uma punção no coração da criança, de onde retiraram 12 ml de leite. A Santa Casa negou que o procedimento tenha acontecido. O hospital afirma que, o que realmente aconteceu, foi uma complicação no acesso por onde ele recebe medicamentos.
"A respeito desse erro, infelizmente ia cuidar a vida do meu filho. Começa a doer e eu me apavoro por lembrança. Eu estava esperando a alta do meu filho. Eu estava contando vinte dias pra gente ir embora, e não pra eu ficar mais vinte dias no hospital. Quatorze dias são só antibiótico", desabafou a mãe Jaqueline Pereira de Moura.

Primeiro transplante de cabeça humana feito com sucesso

Resultado de imagem para transplante de cabeçaO primeiro transplante de cabeça humana em cadáveres foi concluído com sucesso. A operação demorou 18 horas e decorreu na China. A operação liderada pelo cirurgião Xiaoping Ren conseguiu ligar a coluna, nervos e vasos sanguíneos, segundo o Telegraph.  Já no ano passado, tinha sido feita uma cirurgia semelhante, com cadáveres de macacos. Sérgio Canavero, diretor do Grupo de Neuro modulação Avançada de Turim, disse em conferência de imprensa que com o sucesso desta operação, "o transplante de cabeça como forma de tratamento está iminente". O neurocirurgião italiano diz ainda que já tem um doente pronto para a operação: Valeri Spiridonov tem atrofia muscular espinal, uma grave doença degenerativa de origem genética. O paciente de 30 anos terá mostrado o desejo de se submeter à intervenção cirúrgica pioneira em 2015.  A operação deverá colocar a cabeça de Spiridonov no corpo de um doador em morte cerebral, mas saudável. Para o sucesso da operação, a cabeça do paciente terá de arrefecer e estar entre os 10 a 15 graus Celsius. Depois da operação, o Spiridonov será colocado em coma durante três a quatro semanas onde lhe serão administrados imunossupressores para evitar a rejeição do novo corpo.