quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

EUA: Câmara derruba norma contra porte de armas a deficientes mentais

WASHINGTON — Como parte de um esforço do presidente Donald Trump de reverter medidas dos últimos meses do governo de Barack Obama, a Câmara de Representantes dos EUA, de maioria republicana, aprovou, nesta quinta-feira, descartar uma norma que ampliava a checagem extensa para beneficiários do Serviço Social com deficiência mental — o que impedia, até então, que aqueles que têm doenças graves tivessem porte de armas. Os cerca de 75 mil beneficiários que se enquadram nos critérios têm transtornos mentais tão graves que não podem trabalhar e precisam de um representante para administrar suas prestações, por isso não estavam aptos a portar armas de fogo. A votação foi aprovada por 235 a 180. Esta é a primeira de uma série de ações que o Congresso deve tomar nas próximas semanas para reverter o que chamam de regulamentação excessiva no governo Obama. A medida agora deverá ser aprovada no Senado, também de maioria republicana. Casos marcantes de ataques com armas nas mãos de pessoas com deficiências mentais, doenças ou distúrbios chocaram os EUA. Em 2012, o jovem Adam Lanza matou 20 crianças e outros adultos a tiros na escola primária Sandy Hook, em Connecticut. Segundo a família, ele sofria de transtornos de personalidade e autismo. Os legisladores criticaram a norma de Obama, que, segundo eles, reforçaria um estereótipo de que pessoas com um transtorno mental são perigosas. — Não há nenhuma evidência sugerindo que aqueles que recebem benefícios por invalidez são uma ameaça à segurança pública — disse o republicano Bob Goodlatte, presidente do Comitê Judiciário da Câmara. Os democratas criticaram a votação, argumentando que a oposição estaria sendo favorável à Associação Nacional do Rifle (NRA), que se opôs a norma. — Temos o direito de proteger nossos entes queridos que poderiam usar uma arma contra si mesmos ou seus familiares — rebateu o democrata Jim McGovern.

Fonte: http://oglobo.globo.com/mundo/eua-camara-derruba-norma-contra-porte-de-armas-deficientes-mentais-20866773