sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Soldado que desertou da Coreia do Norte tem pesadelos sobre eventual retorno ao país, conta médico

O soldado que desertou da Coreia do Norte, conhecido apenas pelo seu sobrenome Oh, é um rapaz quieto e agradável, e que tem pesadelos sobre a possibilidade de voltar ao seu país, disse um dos médicos responsáveis pelo seu tratamento nesta quinta-feira (23).
Soldado norte-coreano deixar carro e corre para atravessar a fronteira para a Coreia do Sul; ele atravessou, mas foi baleado (Foto: Reprodução / TV Globo)

"Ele é um cara muito legal", disse Lee Cook-jong, cirurgião que operou e agora é responsável pelos cuidados ao jovem de 24 anos. Oh tornou-se um foco de atenção mundial depois de ser gravemente ferido por outros soldados norte-coreanos enquanto atravessava a fronteira na Zona Desmilitarizada - que separa a Coreia do Norte da Coreia do Sul - no último dia 13.
Passo a passo da fuga do desertor norte-coreano pela fronteira desmilitarizada entre as duas Coreias (Foto: Fernanda Garrafiel/G1)Lee foi a única pessoa que falou com Oh desde sua chegada ao hospital, segundo a Reuters - agência de notícias para qual ele concedeu uma entrevista em seu escritório no Hospital Universitário Ajou, a poucos andares de distância de onde o desertor é vigiado por forças especiais da Coreia do Sul e por oficiais de inteligência.
De acordo com o relato do médico, Oh conta que entrou para o Exécito da Coreia do Norte aos 17 anos, logo após concluir o Ensino Médio, e não pensa em voltar para o serviço militar. No quarto que ele ocupa foi pendurada uma bandeira da Coreia do Sul, e o paciente já começa a se alimentar.

Violação

Uma autoridade do Comando da ONU disse à agência de notícias France Presse que a Coreia do Norte foi informada na quarta-feira (22) de que violou o acordo de armistício de 1953, que marcou a cessação das hostilidades da Guerra da Coreia.
Chad Carroll, diretor de relações públicas do Comando da ONU, informou em uma coletiva de imprensa que um soldado do Exército Popular da Coreia do Norte (KPA) cruzou a Linha de Demarcação Militar, a fronteira entre as duas Coreias, durante alguns segundos enquanto outros disparavam contra o soldado em fuga.
"As descobertas cruciais da equipe de investigação especial são de que o Exército da Coreia do Norte violou o acordo de armistício um, disparando armas através da Linha de Demarcação Militar, e dois, chegando a cruzar a Linha temporariamente", disse Carroll.
Lee Cook-jong, cirurgião sul-coreano que operou desertor da Coreia do Norte (Foto: Yang Hee-kyong/Reuters)A fuga do soldado ocorreu na "zona comum de segurança" (JSA) em Panmunjom, único setor da zona desmilitarizada onde os dois Exércitos ficam frente a frente.Desde a deserção de Oh, a Coreia do Norte parece ter substituído todos os seus guardas de segurança que atuam na fronteira, de acordo com uma fonte de inteligência da agência Yonhap citada pela Reuters.

O incidente ocorreu em um momento de tensões elevadas entre a Coreia do Norte e a comunidade internacional devido ao programa norte-coreano de armas nucleares, mas Pyongyang não respondeu publicamente à deserção.

Imagens

O vídeo dramático começa mostrando um jipe 4x4 do Exército norte-coreano acelerando por estradas vazias rumo à divisa. Em um posto de segurança, um guarda norte-coreano marcha impassivelmente rumo ao veículo que se aproxima, mas depois corre em sua perseguição ao vê-lo seguir adiante.
Mais adiante o jipe cai em uma vala e o motorista o abandona depois de tentar inutilmente liberá-lo, correndo para atravessar a fronteira poucos segundos antes de ao menos quatro dos guardas aparecerem de armas em punho.
Um deles se agacha junto a uma pilha de folhas mortas para disparar e depois corre adiante, parecendo cruzar brevemente a linha divisória entre os dois países e recuando em seguida.
O desertor ficou gravemente ferido, já que foi atingido ao menos quatro vezes pelos disparos. Ele foi levado por um helicóptero militar dos Estados Unidos a um hospital de Suwon, no sul de Seul.