terça-feira, 4 de julho de 2017

Sempre acreditei na Justiça do meu país — Aécio Neves

Resultado de imagem para aécio drogadoO ministro da Corte também considerou o afastamento de Aécio do mandato um risco à harmonia entre Legislativo e Judiciário, e entendeu que caberia ao Senado afastar Aécio, destacando a existência de um processo na Casa para cassar o mandato do tucano.

 "Havia razões para estar preso, mas influenciará leis que governam nosso país". Para o jornal, trata-se de "clara referência ao princípio que parece reger a vanguarda do Ministério Público na lava jato e em outras operações, segundo o qual sua noção particular de 'justiça' deve prevalecer sobre qualquer outra". O procurador-geral, Rodrigo Janot, também pediu a abertura de mais um inquérito contra Aécio por lavagem de dinheiro - autorizado por Marco Aurélio. "Livre inclusive para articular o fim das Lava Jato e anistia", comentou o procurador. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) ressaltou que voltará ao exercício do mandato. 

O afastamento do tucano da função parlamentar tinha sido determinado pelo ministro Edson Fachin relator da delação da JBS, no dia 17 de maio. Ele é denunciado ao STF por corrupção e obstrução de Justiça, com base nas delações premiadas de executivos do grupo JBS. Aécio também está afastado da presidência do partido. "As investigações prosseguem - mas é fundamental que se façam dentro da lei". No texto, Marco Aurélio, entretanto, proíbe o senador de deixar o país e de fazer contato com outros investigados ou réus no processo.

"O afastamento do exercício do mandato implica esvaziamento irreparável e irreversível da representação democrática conferida pelo voto popular". "Como, então, implementá-lo, em ato individual, sequer de colegiado, no início de investigação voltada a apurar possível prática a consubstanciar tipo penal?", argumentou Marco Aurélio. "O agravante é brasileiro nato, chefe de família, com carreira política elogiável", escreveu. 
Por isso, continuou ele, é fundamental a antecipação da eleição presidencial. De acordo com a Veja, ele teria pedido um prazo até setembro para oficializar a saída do comando. - Essa decisão de Marco Aurélio deve provocar uma reação negativa na população e isso respingará no PSDB. O mesmo ainda tornou a aparecer no site do Senado como "senador em exercício". Mas, nos bastidores, tucanos de todas as idades avaliam que, caso a decisão do magistrado seja revertida posteriormente, novos desgastes afetarão a legenda. 

As complicações de Aécio se agravaram com a divulgação da gravação em que o tucano pede R$ 2 milhões a Joesley. Comunidade Cultura