sábado, 27 de maio de 2017

Criança morre com otite que os pais recusaram tratar com medicamentos

Morreu, este sábado, em Itália, uma criança de sete anos, na sequência de uma otite tratada apenas com recurso a homeopatia, que acabou por danificar as funções vitais do doente. Segundo a imprensa italiana, os pais do rapaz recusavam-se a administrar medicamentos ao filho.


O pequeno Francesco, doente há duas semanas, estava internado, em coma, num hospital em Ancona, Itália, desde quarta-feira, quando lá chegou semiconsciente e com febre alta. Os médicos declararam morte cerebral no sábado de manhã.
De acordo com o italiano "Corriere della Sera", que tem o caso como manchete, a criança era tratada por um homeopata desde os três anos e esta não era a primeira vez que os pais - alegadamente contra o uso de antibióticos - tinham recorrido à terapia alternativa para curar infeções de ouvido.
Como das outras vezes, Francesco queixou-se de dores de ouvido, febre, nariz entupido. Sintomas clássicos e, aparentemente, não preocupantes que os pais dizem ter sido sempre curados "sem complicações" pelo mesmo homeopata que, desta vez, garantiu que o menino ia ficar bem.
O que aconteceu foi que, apesar das garantias, o estado de saúde da criança foi-se deteriorando de há duas semanas para cá, e a infeção não ficou curada, tendo-se acabado por estender ao tecido cerebral.
Em entrevista ao jornal "Resto del Carlino", o avô da criança disse que os pais "confiavam cegamente" no homeopata, Massimiliano Mecozzi, e assegurou que foi ele quem aconselhou o casal de comerciantes a não levar Francesco ao hospital.
Os pais vão agora, diz a imprensa italiana, processar Mecozzi.