quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Rodrigo Maia diz que resultado de investigação da PF sobre ele é 'absurdo'

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (9) que o resultado de uma investigação da Polícia Federal que sugere que ele prestou favores políticos à empreiteira OAS é "absurdo".

Nesta quarta, reportagem do Jornal Nacional mostrou que os investigadores concluíram um inquérito que investigou Maia e apontou indícios de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo a PF, o deputado defendeu interesses da OAS no Congresso em 2013 e em 2014, como apresentar uma emenda à uma medida provisória que definia regras para a aviação regional, em benefício da empresa.

O relatório afirma que o deputado pediu à empreiteira doações eleitorais no valor de R$ 1 milhão em 2014, dinheiro que foi repassado oficialmente à campanha do pai do presidente da Câmara, César Maia, ao Senado.

"Ontem fui surpreendido pelo vazamento ilegal do fim de uma investigação feita pela Polícia Federal, onde o resultado é absurdo, não tem nenhuma relação com a realidade", disse.

Maia disse que o relato dos investigadores é genérico e ressaltou que nunca apresentou nenhuma emenda ou projeto com alguma vinculação. "A única coisa que a minha emenda garantia era isonomia no sistema. Não estava beneficiando A, não estava beneficiando B", disse.

“Confio na justiça, tenho certeza que tanto o Ministério Público quanto a Justiça vão reparar essa análise preliminar que é absurda", disse. “Nesse caso específico, eu vou atrás da reparação desse dano. Já sabemos de onde saiu esse vazamento ilegal", completou.