terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

'Moraes terá isenção para julgar', diz Maia


BRASÍLIA - Em entrevista à Rádio CBN na manhã desta terça-feira, 7, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elogiou a indicação de Alexandre de Moraes (PSDB) como ministro do Supremo Tribunal Federal e afirmou que, apesar de ele ser um quadro político, ele terá “isenção” para julgar os casos referentes à Operação Lava Jato.
Foto: André Dusek|Estadão
Aliado
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ)
“Acho que pelo histórico dele, por ele ter sido juiz, promotor, que ele vai ter a isenção necessária para julgar de forma independente”, disse Maia.
O presidente da Câmara afirmou acreditar que “a questão política vai ser superada pelo respeito que ele tem no mundo jurídico brasileiro”. “O Alexandre tem um histórico no mundo acadêmico, a qualidade dele como constitucionalista é muito grande. É um quadro de muitas qualidades”, disse.
A indicação de Moraes pelo presidente Michel Temer para ocupar a vaga aberta com a morte do ministro Teori Zavascki foi anunciada na segunda-feira, 6. Ao escolher o aliado - de quem é amigo há mais de 20 anos -, Temer optou por uma nomeação política que agrada sua base no Congresso, preocupada com as consequências da Lava Jato. Atualmente filiado ao PSDB, Moraes tem passagens pelo PMDB e o DEM.
Se a indicação for aprovada no Senado, Moraes será o revisor dos processos relacionados à Lava Jato no plenário do Supremo. Nessa função, terá o papel de revisar as ações penais que forem julgadas no pleno - que são, especificamente, aquelas envolvendo presidentes da República, do Senado ou da Câmara.
O nome de Moraes ainda precisa ser aprovado pelo Senado. O indicado terá de passar por sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, se aprovado, receber o aval do plenário da Casa.