segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Absurdo: Grupo defende em outdoor e no Facebook o 'fim dos privilégios para deficientes' em Curitiba


OUTDOOR
Um outdoor, um página no Facebook e uma petição online. É assim que um grupo intitulado Movimento pela Reforma de Direitos quer o “fim dos privilégios para deficientes” em Curitiba. De acordo com postagens do grupo no Facebook, a iniciativa visa pôr fim a “leis que privilegiam uma minoria e esquecem a maioria”.
Não está claro se a iniciativa é mesmo para valer ou se não passa de uma campanha publicitária. De acordo com informações da Rádio Banda B, um outdoor com a mensagem do grupo, localizado no bairro Vista Alegre, causou revolta entre moradores da região.
O Movimento pela Reforma de Direito tem objetivos muito claros. Queremos parar de ser prejudicados por leis que privilegiam uma minoria e esquecem a maioria. Estas são nossas reivindicações.
Redução em 50% das vagas exclusivas pra deficientes
Quem já ficou horas atrás de uma vaga para estacionar, e sempre olhava para aquelas vagas de deficientes vazias, sabe como isso é importante. É para o bem-estar de muita gente.
Fim das cotas para deficientes em empresas
Você tem ideia do quanto uma empresa precisa gastar para se adaptar para um funcionário deficiente? Esse dinheiro poderia ser investido em salários melhores, em condições de trabalho para quem leva o negócio pra frente, não é? Quem for bom vai ser contratado, sendo deficiente ou não. É por isso que queremos o fim das cotas para deficientes em empresas com mais de 100 funcionários.
Redução em 50% de filas e assentos exclusivos para deficientes
Todo mundo sofre com ônibus lotado e filas gigantes em bancos, não só os deficientes. Por isso, queremos que dediquem mais assentos e atendentes para todos. Chega de lugar vazio com gente em pé. Chega de atendente esperando com gente precisando ser atendida.
Pelo fim da isenção de impostos na compra de carro zero
As marcas de automóvel e o governo não vão pagar por esse desconto. Sabe quem vai? Eu, você e todo mundo que não tem culpa nenhuma de não ter deficiência. Carro já é caro demais pra gente ainda ter que ficar sustentando descontos para os outros. Querem ser tratados com igualdade? Então paguem o mesmo que qualquer um.
Pelo fim das cotas em concurso público
Você estuda por anos, dedica-se, vai bem na prova. Aí chega a lista e você perdeu seu futuro profissional por causa de uma cota. Coloque-se no lugar de quem passa por isso e pense: é justo?
Pelo fim à gratuidade para deficientes
É ótimo incentivar a cultura, mas para todos. Você, que gosta de ir a shows, acha certo que cobrem um preço pesado, que faz falta no seu mês, para que outras pessoas paguem menos? Acha certo pagar por eles? Porque é isto que acontece: os descontos para deficientes são pagos por você. E se você deixa de ir naquele show que tanto queria porque está muito caro, pode ser que um deficiente vá, pagando o que seria justo para todos.

Nas redes sociais, o absurdo também não foi perdoado pelos internautas...

print
À rádio de Curitiba, os responsáveis pela página e pelo outdoor afirmaram querer “tornar toda a sociedade mais justa trazendo mais justiça para alguns direitos, equiparando alguns benefícios com todos”.



As marcas de automóvel e o governo não vão pagar por esses descontos. Sabe quem vai? Eu, você e todo mundo que não tem culpa nenhuma de não ter deficiência. Carro já é caro demais pra gente ainda ter que ficar sustentando desconto para os outros. Querem ser tratados com igualdade?
Então paguem o mesmo que qualquer um.
Junte-se a nós, assine a petição: http://tinyurl.com/peticaoMRD