quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Bolsonaro é condenado na Justiça por dizer que 'não estupraria' Maria do Rosário

 

Quase um ano após declarar que ‘não estupraria’ a deputada Maria do Rosário (PT-RS) ‘porque ela não merecia’, o também parlamentar Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi condenado em primeira instância.

De acordo com informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, Bolsonaro foi condenado em primeira instância a pagar R$ 10 mil reais à colega petista. Ainda é possível recorrer da decisão.

A polêmica entre os dois começou em dezembro de 2014. Feita no plenário, a declaração foi repetida ao jornal Zero Hora no dia seguinte e gerou, entre outros, pedidos de cassação do mandato de Bolsonaro por parte de outros deputados.

“Ela não merece [ser estuprada] porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia. Não faz meu gênero. Jamais a estupraria”, afirmou Bolsonaro em entrevista ao jornal gaúcho.

Ao longo do processo, em sua defesa, Bolsonaro mencionou sua imunidade parlamentar e disse que não causou “danos indenizáveis” à colega. Rejeitadas, as alegações ainda podem voltar à pauta se ele recorrer da decisão.

Leia também
Deputados da bancada da bala criticam decreto que tira poder de militares
Maioria de pedidos de impeachment tem frágil argumentação e acaba descartada

Além do processo na Justiça, que corre nas mãos da juíza Tatiana Dias da Silva, da 18ª Vara Cível de Brasília, Bolsonaro também é réu em processo por quebra de decoro parlamentar. Essa ação corre no Supremo Tribunal Federal (STF) e também tem ligação com a declaração.